terça-feira, 17 de janeiro de 2012

estradas

a gente brindou. feliz ano novo, que em 2012 o mundo não acabe já que a gente acabou de começar. nos beijamos. cantamos ao som do violão. dormimos. pegamos estrada . na cidade grande e barulhenta outra vez. tivemos vontade de voltar pro campo. não vizinhos, não trânsito, não pessoas. não pudemos. pegamos estrada pra outra cidade. vimos montanhas verdes e condomínios de pessoas ricas. pegamos uma gata. acariciamos a gata. pegamos a estrada de volta pra cidade barulhenta. a gata miou. miou. miou. tivemos vontade de matar a gata. a gata dormiu no meu colo. deixamos a gata em casa. pegamos as malas. fomos acampar. não vizinhos, não trânsito, não pessoas. nos aconchegamos. nadamos na cachoeira gelada. tomamos banho mais gelado do que a cachoeira. fizemos uma fogueira. nos abraçamos. eu o amei como nunca. entramos na barraca. acendemos a lanterna e iluminamos o nosso porta-retrato. olha só, fomos feitos um para o outro. dormimos. fomos picados por pernilongos. pegamos a estrada pela quinta vez no mês. ninguém dirigiu dessa vez. dormimos a viagem inteira. alguém desligou o ar condicionado do ônibus. sentimos que estávamos voltando pra cidade quente e barulhenta. chegamos em casa. notamos que o cheiro da fogueira que fizemos nos acompanharia por um bom tempo. pegamos outra vez a estrada. novas cachoeiras, novas companhias. deitamos na rede. acordamos no chão da sala. bebemos. rimos. bebemos. estrada outra vez. casa. banho. mala. estrada pela ultima vez. coloquei a mão na perna dele enquanto cruzávamos mais um pedaço do mundo. acabou a estrada. nos despedimos. ele seguiu viagem. aguardo a próxima estrada que me levará até ele. era amor antes de ser.

8 comentários:

  1. "aguardo a próxima estrada que me levará até ele" , o amor nos surpreende, preciso aprender a aguardar também...

    Abraço;**

    http://pamelabento.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. tudo lindo aqui como sempre.
    sou fã número 1.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. foi de propósito o texto não ter letras maiúsculas no início das frases? o conto ficou bom, minimalista, sucinto, e surpreendeu com o final :D

    p.s.: estou seguindo o seu blog^^

    ResponderExcluir
  4. Você inovou com os pontos seguidos e a ausência das maiúsculas. belo conto.

    Su

    ResponderExcluir
  5. muito bem, menina verônica.
    tô achando que quem vai lançar livro é você!

    ResponderExcluir
  6. Meu Zeus do céu... esse final foi totalmente inesperado, fuí lendo e entendendo o texto como um mini-conto, imaginando as cenas na minha cabeça... Tão direto, tão surpreendente e tão belo...

    Meus parabéns.
    Uma ótima semana e obrigada pela visita lá no blog,
    beijão.

    ResponderExcluir
  7. Que blog lindo, parabéns!
    Vem conhecer o meu:

    leiakarine.blogspot.com

    ResponderExcluir